ROMA (Itália)

Em português, a tradução pode ser meio tosca, Fonte dos Trevos, mas é exatamente esta a ideia. A fonte foi construída no cruzamento de três estradas (tre vie, em italiano). Ela era o ponto final do aqueduto mais importante de Roma, que serviu a cidade durante 400 anos. O Acqua Vergine, como era chamado, foi construído no século 19 a.C. e trazia água de uma fonte localizada há mais de 20 km de Roma.

Com as guerras e invasões, os aquedutos foram inutilizados. Durante a Idade Média, obter água em Roma não era um processo fácil e higiênico. A fonte foi reativada e reformada diversas vezes durante o Renascimento, quando vários artistas disputavam para terminar o projeto abandonado por Bernini. No final, a fonte ficou com a assinatura de Nicola Salvi, que a construiu em 1732.

Quem visita a fonte, hoje em dia, joga uma moeda. Esse gesto traz sorte e sucesso para que a pessoa volte a Roma pelo menos mais uma vez. Traz também mais de 700 mil euros por ano! O dinheiro jogado pelos turistas é recolhido e destinado para a Caritas.

Assim como tudo que é grandioso e famoso, a Fontana já passou por bons e maus momentos. Foi eternizada pelo filme de Fellini (assista o trecho) e foi cenário de um clipe do Bon Jovi (assista o clipe). Também foi alvo de protestos, como em 2007, que um manifestante jogou corante na água.

Mas, o que chama a atenção, é o número de pessoas que visitam a fonte. Faça chuva ou faça sol, de dia ou de noite, sempre terá que disputar espaço para uma boa foto. Além disso, é preciso ter muita paciência se quiser se aproximar das águas.